O peludo está com o olho fechado e há um acúmulo de secreção espessa na região? Esse pode ser um caso de olho seco em cães. Essa doença é mais frequente em animais mais velhinhos e requer tratamento por toda a vida. Veja como ajudar o seu bichinho de estimação! 

olho seco em cães

Olho seco em cães: por que isso acontece?

A lágrima, também chamada de filme lacrimal, tem como principal função lubrificar o olho do peludo. Ela é produzida pelas glândulas lacrimais e é formada por diversos componentes, como, por exemplo:

  • Água;
  • Sais minerais;
  • Proteínas;
  • Gordura.

Quando há deficiência de um desses componentes na produção da lágrima, pode ocorrer a chamada síndrome do olho seco em cães. No geral, há uma diminuição na parte aquosa do filme lacrimal e, consequente, acúmulo da parte gordurosa.

É por isso que, em casos de olho seco em cães, o tutor costuma notar uma secreção espessa no olhinho acometido. Afinal, se a água se apresenta em quantidade menor do que o necessário, sobram os demais elementos do filme lacrimal, causando espessamento.

Embora a deficiência na produção da parte aquosa possa ser a responsável pela doença do olho seco em cães, há também outra possibilidade, que é um problema com as estruturas envolvidas na produção e distribuição do filme lacrimal. 

É o caso, por exemplo, de quando há uma inflamação ou epitelioma das glândulas meibomianas em cães. Isso compromete a qualidade da lágrima e inicia um processo inflamatório. 

O que é a síndrome do olho seco e quais as doenças envolvidas?

Qualquer alteração na produção ou distribuição do filme lacrimal pode ser chamada de síndrome do olho seco, que também é conhecida como ceratoconjuntivite seca (CCS). Quando ela é quantitativa, ou seja, está ligada a uma deficiência na produção da parte aquosa da lágrima, pode decorrer dos seguintes problemas:

  • Má-formação da glândula lacrimal;
  • Adenite infecciosa;
  • Uso de algumas medicações tópicas;
  • Perda da inervação parassimpática das glândulas lacrimais;
  • Perda da inervação sensitiva da superfície ocular;
  • Remoção cirúrgica da glândula da terceira pálpebra;
  • Comprometimento da inervação causada por otite interna ou média;
  • Trauma;
  • Atrofia senil;
  • Hipotiroidismo;
  • Hiperadrenocorticismo;
  • Diabetes mellitus, entre outras. 

olho seco em cães

Já a ceratoconjuntivite seca qualitativa, ou seja, quando há um problema na distribuição da lágrima, pode estar ligada a processos inflamatórios, alteração das glândulas de meibomianas ou doenças conjuntivais crônicas. Também pode ser decorrente de buftalmia, deformidade ou paralisia da pálpebra. 

Quais animais podem ter olho seco? 

Animais de qualquer porte, raça ou sexo podem apresentar olho seco em cães. Entretanto, comumente essa doença é mais frequente em indivíduos adultos ou idosos. Além disso, há algumas raças que são consideradas mais predispostas. São elas: 

  • Cavalier King Charles Spaniel;
  • Buldogue Inglês;
  • Schnauzer miniatura;
  • Lhasa Apso;
  • Shih tzu;
  • Cocker Spaniel Americano;
  • West Highland Terrier;
  • Pug;
  • Bloodhound;
  • Pequinês;
  • Boston Terrier;
  • Samoieda;
  • Cocker Spaniel Inglês;

Sinais clínicos e diagnóstico

Para que possa definir como tratar olho seco, o médico-veterinário irá avaliar os sinais clínicos e realizar alguns exames complementares. Dentre os sinais que podem sugerir o olho seco em cães estão, por exemplo: 

  • Secreção ocular espessa;
  • Desconforto nos olhos, a ponto do animal permanecer mais tempo com eles fechados do que abertos;
  • Dor ou desconforto ocular;
  • Blefaroespasmo (piscar involuntário e constante);
  • Dificuldade em enxergar; 
  • Vermelhidão nos olhos;
  • Ulcerações na córnea.

Embora com os sinais clínicos o médico-veterinário já possa determinar o diagnóstico, para determinar o tratamento para olho seco é provável que ele realize exames. O mais comum é o chamado teste de Schirmer, que avalia a produção lacrimal. 

O teste com fluoresceína também costuma ser feito para avaliar a existência de úlcera de córnea, decorrente do olho seco em cães. Entretanto, caberá ao médico-veterinário definir se o fará ou não. 

Tratamento

O tratamento para a ceratoconjuntivite seca varia, mas, no geral, o profissional prescreve um colírio para olho seco em cães, que substitui a parte aquosa da lágrima. 

olho seco em cães

Em alguns casos, a cirurgia oftálmica também pode ser uma alternativa de tratamento. Além disso, também pode ser prescrito, além do colírio para olho seco, um colírio antibiótico, que ajudará a tratar a úlcera de córnea, quando houver. 

Saiba mais sobre o tratamento de úlcera de córnea em cães e como evitar essa doença.