O cálculo renal em cães é uma doença silenciosa que pode causar dor aguda e obstruir a saída da urina pelo ureter ou uretra, sendo o seu tratamento considerado emergencial. Algumas raças são predispostas ao seu desenvolvimento, por isso, a prevenção da doença deve ser empregada.

cachorro desanimado

O cálculo renal, nefrolitíase ou litíase renal, popularmente conhecido como “pedra no rim”, é a formação de cristais de minerais que podem aparecer desde a pelve renal até a uretra. Os cálculos na pelve renal estão se tornando cada vez mais comuns em cães, talvez pelo diagnóstico com exames complementares mais modernos, são a maior causa de obstrução ureteral na espécie.

Formação dos cálculos

Os rins dos animais filtram o sangue e produzem a urina, que promove a saída de compostos indesejados para fora do organismo. Se, por algum motivo, essa urina ficar supersaturada, concentram minerais que podem começar a precipitar cristais formando as litíases renais.

Grande parte das afecções no trato urinário dos cães acontecem devido aos cálculos. Altas concentrações de minerais, juntamente com a baixa frequência de micção, predispõem a formação das nefrolitíases.

Existe maior predisposição de ocorrência em machos e em animais das raças Poodle, Schnauzer miniatura, Yorkshire Terrier, Shih-tzu, Lhasa Apso e Bichon Frise. Os cálculos mais encontrados são os de estruvita, urato de amônio e oxalato de cálcio.

Fatores que influenciam na formação dos cálculos

Existem muitos fatores que influenciam na formação das nefrolitíases: alterações do pH urinário, pouca ingestão de água, alto aporte de minerais e proteínas dietéticas, infecção urinária e baixa concentração de inibidores de cristalização na urina.

As predisposições raciais associadas a qualquer um desses fatores agravam a formação dos cálculos renais em cães, assim como os má formações congênitas, hipercalcemia (aumento do cálcio no sangue), hiperparatireoidismo e hiperadrenocorticismo.

Composição da litíase renal

Conhecer a composição do cálculo renal em cães é importante, pois o tratamento e a prevenção dessa enfermidade são baseados nessa informação. Essa composição se dá de acordo com o cristal mineral presente no cálculo.

Cálculos de estruvita

São os cálculos de maior ocorrência nos animais domésticos e formados por magnésio, amônia e fosfato. Urinas alcalinas (com pH entre 7,0 e 9,0) somadas a infecções do trato urinário causadas por bactérias produtoras de urease são a combinação perfeita para a formação da estruvita.

Cálculos de oxalato de cálcio

Esses cálculos ocorrem por hipercalcemia, medicamentos como furosemida e glicocorticoides, hiperadrenocorticismo e dietas com pouco sódio e alta concentração de proteínas.

Cálculos de urato de amônio

Esses urólitos se formam quando há mais ácido úrico na urina, consequência de uma nefropatia ou hepatopatia. Nos cães da raça dálmatas, existem uma predisposição maior à ocorrência desses cálculos.

cachorro no colo da tutora

Sintomas

O cachorro com cálculo renal apresenta sintomas de acordo com sua localização, tamanho, e se causa ou não obstrução dos ureteres. A obstrução geralmente é unilateral e, por isso, pode não ter sintoma clínico visível, o que dificulta seu diagnóstico precoce.

O rim que não está obstruído pode compensar a função renal do paciente. Dessa forma, o exame de sangue pode estar normal, por isso, é muito importante fazer o diagnóstico realizando também o ultrassom, raio-x ou tomografia abdominal.

O cálculo renal em cachorros pode obstruir o ureter, causando hidronefrose do rim acometido e, se perdurar, pode causar danos irreversíveis ao órgão. Em casos de obstruções ou suspeitas de obstruções o paciente deve ser atendido o mais breve possível pelo veterinário para diagnóstico e tratamento adequado.

Os sintomas de cálculo renal em cães variam desde sua ausência até urina com sangue, dor ao urinar e ir com mais frequência ao local de urinar, mas com pouca saída de urina.

Tratamento

O tratamento para cachorro com problema no rim objetiva a dissolução do urólito, com exceção do oxalato de cálcio, que não se dilui. O tratamento pode ser feito através do aumento da diluição da urina, correção do pH urinário e tratamento de infecções com avaliação constante do paciente até a alta. 

Em casos de insucesso, pode ser realizada a intervenção cirúrgica, ou ainda pode-se adotar como primeira opção em casos de pedras grandes ou quando a pelve renal, ureter ou uretra estiverem dilatados e/ou com risco de serem obstruídos.

Prevenção

A dieta para cães com cálculo renal é indicada no tratamento e na prevenção da doença. Existem rações eficientes no controle desta enfermidade.O tempo da dieta deve ser estipulado pelo veterinário de acordo com cada caso. 

Para a prevenção dos cálculos, o recurso mais eficiente é a dieta baseada na correção do pH urinário e, recomenda-se estimular a ingestão de água e a micção.

A nutrição ideal e os exames preventivos de sangue e imagem nos cães de raças predispostas devem ser realizados rotineiramente. Deve-se evitar o excesso de proteína na dieta e ofertar de preferência rações super premium.

cachorro com a cabeça na mão de tutora

Conheceu um pouco mais sobre cálculo renal em cães? Então confira mais artigos sobre manejo alimentar, curiosidades do mundo canino, informações sobre saúde dos peludos e muito mais no nosso blog!