Uma doença que merece atenção especial é o tumor na boca de cachorro. Embora ele seja diagnosticado com certa frequência, muitas vezes, quando o peludo é levado ao médico-veterinário, a neoplasia já está muito grande. Conheça mais sobre a enfermidade e os possíveis tratamentos.

tumor na boca de cachorro

Raças com mais chance de ter um tumor na boca de cachorro

O câncer de boca em cachorro é um do mais comumente diagnosticados na medicina veterinária, ficando atrás apenas dos:

  • Tumores de pele;
  • Tumores mamários,
  • Tumores de origem hematopoiética.

O tumor na boca de cachorro pode ser maligno ou benigno, sendo que, dentre as neoplasias malignas, o melanoma é o mais frequente. Além dele, o carcinoma de células escamosas e o fibrossarcoma também podem ser diagnosticado na cavidade oral do peludo.

Já quando o tumor na boca de pet é benigno, a neoplasia mais comum é chamada de epúlide. Embora seja possível identificar um cachorro com tumor na boca sendo ele de qualquer raça, algumas tendem a ser mais suscetíveis. São elas:

  • Pointer;
  • Weimaraner;
  • Boxer;
  • Poodle;
  • Chow Chow;
  • Golden Retriever,
  • Cocker Spaniel.

Animais de qualquer idade podem ser diagnosticados com um tumor na boca do cachorro. No entanto, na maioria das vezes, a neoplasia é desenvolvida em pets idosos.

Sinais clínicos

Como identificar tumor na boca de cachorro? Embora o diagnóstico só possa ser feito pelo médico-veterinário, é importante que o tutor conheça alguns sinais clínicos. Assim, caso note qualquer um deles, já sabe que tem que levar o peludo para ser examinado. Dentre os mais frequentes estão:

  • Halitose (odor diferente na boca);
  • Aumento de volume oral, que faz com que a fisionomia do pet fique alterada;
  • Sangramento no local do tumor na boca de cachorro;
  • Dor ao abrir a boca;
  • Sialorréia (aumento na produção de saliva);
  • Dificuldade em engolir;
  • Perda de dentes;
  • Exoftalmia (olho saltado);
  • Tosse;
  • Dificuldade em respirar;
  • Secreção nasal;
  • Anorexia (para de comer),
  • Emagrecimento.

tumor na boca de cachorro

Diagnóstico do tumor na boca do cachorro

Qualquer aumento de volume na boca do pet é investigado pelo médico-veterinário para que possa descobrir se é uma inflamação ou uma neoplasia. Além disso, provavelmente o profissional já fará exames em outros órgãos.

Isso é necessário porque quando o tumor na boca de cachorro é maligno, há chance de ter ocorrido metástase, ou seja, do câncer ter se espalhado. Por isso, não se assuste se além de uma biópsia na lesão da boca o profissional solicitar outros exames, como, por exemplo:

  • Radiografia;
  • Exame de sangue (hemograma, leucograma e bioquímico),
  • Ultrassonografia.

Esses exames, além de ajudarem a descobrir se houve metástase, também servirão para definir o melhor protocolo de tratamento. Por isso, é importante que o tutor aceite realizá-los, de forma que o profissional tenha condições de indicar o melhor para o cachorro.

Tratamento para tumor na boca de cachorro

O tratamento do tumor na boca de cachorro vai depender do tamanho da neoplasia, se ela é maligna ou não e se houve metástase. Além disso, será considerada a situação de saúde do pet como um todo.

Como se trata, na maioria dos casos, de peludos velhinhos, muitas vezes eles podem ter outras doenças, como as cardiopatias ou problemas renais, por exemplo. Tudo isso é considerado pelo médico-veterinário antes de definir o tratamento.

No geral, tumores benignos podem ser retirados por meio de um procedimento cirúrgico. Já no caso dos malignos, embora a cirurgia também possa ser uma opção, muitas vezes a radioterapia é indicada. No entanto, esse tipo de procedimento só é encontrado nos grandes centros.

Por fim, em alguns tipos de carcinoma, a quimioterapia pode ser adotada junto com o procedimento cirúrgico. De qualquer forma, quanto menor for o tumor, maiores serão as chances de sucesso no tratamento.

tumor na boca de cachorro

Por isso, é importante levar o pet anualmente para fazer uma avaliação detalhada. Assim, qualquer doença pode ser diagnosticada bem no início. Conheça os exames mais solicitados pelos médicos-veterinários.