Por que a glândula adanal do cachorro inflama?

Publicado pela Equipe SERES | 10 julho 2022

#

Viu o pet arrastando o bumbum no chão, lambendo insistentemente o bumbum, com uma substância amarronzada e um cheiro repugnante? Você acaba de conhecer a glândula adanal do cachorro!

glândula adanal cachorro

Ela é responsável por secretar uma substância odorífera para marcar território ou lubrificar as fezes, mas, às vezes, pode ficar obstruída ou inflamada. Veja o que fazer se isso acontecer com o seu peludo.

O que pode acontecer com a glândula adanal do cachorro?

A glândula adanal dos cães fica ao lado do ânus — ou melhor, ficam, pois são duas: uma de cada lado. Para que a secreção que elas produzem possa ser liberada, há um pequeno orifício. Dessa forma, quando o animal defeca, há uma pressão nessa região que leva ao esvaziamento do saco anal.

A secreção é direcionada pelos ductos até que chegue ao orifício que fica dentro do ânus e seja liberada junto com o cocô. No geral, ela é fluida e possui um mau cheiro. No entanto, algumas vezes, esse orifício ou os ductos são obstruídos, impedindo que o processo aconteça.

Isso ocorre quando há uma infecção local causada por bactérias do próprio intestino, por exemplo. Também acontece quando a secreção fica ressecado, levando ao que se chama de impactação.

Pode ocorrer quando o animal está com diarreia, ou seja, não faz força para fazer cocô. Com isso, a glândula adanal do cachorro não é estimulada, e a secreção fica parada. Dessa forma, acaba ressecando. Há outros fatores individuais que predispõem uma maior ou menor incidência de alteração nessas glândulas.

Seja qual for o caso, se algo impede que a secreção saia, ela vai passar a se acumular no saco adanal. Isso levará a um aumento de volume, dor e desconforto. Por isso, o animal precisa de tratamento. Conheça as causas mais comuns de mudança na consistência das fezes:

  • colite;
  • disbiose;
  • parasitas intestinais;
  • alergia alimentar;
  • intolerância alimentar;
  • insuficiência do pâncreas;
  • quantidade baixa de fibras na dieta.

Glândulas adanais ectópicas

As glândulas adanais que são ectópicas, ou seja, estão fora de seu lugar habitual — geralmente mais profundas ou muito abaixo do reto — não recebem pressão suficiente na saída das fezes. Nesse caso, podem ficar impactadas, sendo necessário que o veterinário as esvazie de tempos em tempos.

glândula adanal cachorro

Como esvaziar a glândula adanal?

Como esvaziar a glândula adanal em cães exige experiência, não tente fazer isso em casa. O veterinário irá manipular a glândula e espremê-la gentilmente, fazendo com que o excesso de conteúdo saia pelo ânus do pet. Esse procedimento causa incômodo ao animal, principalmente se o problema estiver presente há muito tempo ou a inflamação for intensa, podendo ser necessário o uso de medicamentos para alívio dos sinais e desconforto.

Então, por que não espremer a glândula de vez em quando?

O ducto que sai da glândula e chega até o ânus tem um diâmetro muito pequeno. Quando se espreme a glândula, força-se a passagem desse conteúdo por esse caninho com pressão acima da normal.

Essa pressão machuca o ducto, que pode inflamar. Inflamando, fica edemaciado (inchado) e fecha a saída do conteúdo da glândula, ou seja, causa a impactação dela. Por isso, não é recomendado que a glândula adanal do cachorro seja espremida no banho. Se pensa em manter seu pet mais limpo, saiba que isso irá prejudicá-lo ainda mais.

Quais animais podem ter a inflamação e quais os sinais?

Não importa a idade do pet, é possível que o tutor veja o cachorro com a glândula adanal inflamada. Ela também pode acontecer em peludos de diferentes portes e raças.

Por isso, é importante que o tutor saiba identificar que algo não está bem com a glândula adanal do animal para que possa levá-lo ao veterinário. Entre os sintomas que são vistos, estão:

  • o cão tem irritação perto do ânus;
  • o animal passa a correr atrás da cauda ou arrastar a região anal no chão;
  • o tutor nota um corrimento com odor desagradável perto do ânus do peludo (glândula adanal vazando) ou até mesmo em objetos como caminhas e cobertores ou na própria roupa do tutor ao pegá-lo nos braços;
  • o pet tem dor típico resultante da glândula adanal inflamada;
  • o tutor observa um aumento de volume na região ao redor do ânus;
  • o cão apresenta alteração de comportamento, que é causada pelo desconforto;
  • o animal tenta defecar sem conseguir (tenesmo), com uma sensação de que ainda tem cocô para sair, mas, na verdade, é a glândula inchada.

Como é feito o diagnóstico de inflamação na glândula anal?

Embora a obstrução inflamatória seja uma causa frequente, será preciso também avaliar para saber se não é um tumor. Por isso, além do exame físico, da palpação retal e da glândula adanal do cachorro, é possível que o médico-veterinário solicite mais exames, como:

  • radiografia abdominal;
  • ultrassonografia abdominal;
  • tomografia computadorizada;
  • biópsia.

Tratamento

Após definir o diagnóstico, o médico-veterinário irá explicar como tratar a glândula adanal em cães. Caso seja uma obstrução, é possível que ele faça a limpeza da glândula no consultório. Depois disso, irá prescrever medicamentos para serem administrados pelo tutor.

No geral, o uso de antibióticos tópicos e sistêmicos pode ser adotado. Algumas vezes, um anti-inflamatório também pode ser prescrito por alguns dias. No entanto, quem vai decidir qual é o melhor remédio para glândula adanal será o médico-veterinário do seu pet.

Contudo, quando há recidivas ou quando o tratamento por meio da administração de medicamentos não surte efeito, o procedimento cirúrgico passa a ser uma alternativa. A remoção de um ou dois sacos anais pode ser o protocolo escolhido.

Cachorro branco na grama.

A glândula adanal do cachorro é uma estrutura que pode sofrer alterações com consequências relevantes para o bem-estar do pet, por isso, se notar qualquer alteração, procure ajuda veterinária e os profissionais do Seres. Aqui, o peludo é tratado com todo carinho que merece!

Aqui você encontra artigos incríveis sobre saúde e cuidados que podem ajudar a melhorar o bem-estar de seu bichinho de estimação, seja qual for a espécie do pet. Afinal de contas, o nosso instinto é cuidar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias relacionadas

Ver todas notícias
Dente de cachorro caindo: saiba se é normal

Dente de cachorro caindo: saiba se é normal

#cachorro
14 novembro 2022

Todo tutor adora ver seu bichinho feliz e saudável, por isso, brinca e oferece brinquedos para ele se divertir. Durante […]

Continuar lendo
É possível identificar fezes de cachorro com giárdia?

É possível identificar fezes de cachorro com giárdia?

#cachorro
08 novembro 2022

A giardíase, ou seja, a infecção do seu peludinho por um protozoário unicelular, pode alterar o sistema digestório, causando gases, […]

Continuar lendo
Doenças cardíacas em cães: saiba como identificar

Doenças cardíacas em cães: saiba como identificar

#cachorro
27 outubro 2022

Assim como nos seres humanos, as doenças cardíacas em cães também são patologias frequentes, geralmente associadas à idade mais avançada. […]

Continuar lendo
Seu cachorro não bebe água? Isso não é um bom hábito!

Seu cachorro não bebe água? Isso não é um bom hábito!

#cachorro
26 outubro 2022

A água é a substância mais abundante no corpo dos animais. Se seu cachorro não bebe água, você deve descobrir […]

Continuar lendo
Dentista-veterinário: saiba mais sobre essa especialidade

Dentista-veterinário: saiba mais sobre essa especialidade

#cachorro
25 outubro 2022

A medicina veterinária vem crescendo a cada dia. É comum nos depararmos com novos produtos, tratamentos e até mesmo doenças […]

Continuar lendo
Conheça como vive um cachorro deficiente

Conheça como vive um cachorro deficiente

#cachorro
24 outubro 2022

Os animais, assim como os seres humanos, podem sofrer acidentes, ser diagnosticados com doenças de difícil tratamento ou nascer com […]

Continuar lendo
Conheça algumas causas de cachorro cansado

Conheça algumas causas de cachorro cansado

#cachorro
23 outubro 2022

Após longos passeios, corridas e brincadeiras no quintal, ou seja, após um alto gasto energético, é normal ver o pet […]

Continuar lendo
Como saber se o cachorro está ficando cego e como ajudá-lo

Como saber se o cachorro está ficando cego e como ajudá-lo

#cachorro
06 outubro 2022

Apesar de o olfato ser o sentido mais aguçado e importante para o cão, isso não quer dizer que se […]

Continuar lendo
Ferida na orelha do cachorro: devo me preocupar?

Ferida na orelha do cachorro: devo me preocupar?

#cachorro
03 outubro 2022

Umas das partes do corpo do nosso pet que chama mais atenção são as orelhas. Cada raça possui um formato […]

Continuar lendo

Assine nossa newsletter e receba novidades.