Quais são os preparos para a cirurgia em gatos?

Publicado pela Equipe SERES | 10 julho 2022

#

Com o avanço da medicina veterinária, a cirurgia em gatos ficou mais segura. Diversos são os motivos para realizar esse tipo de procedimento na espécie, mas os cuidados pré-cirúrgicos são muito semelhantes.

Gato deitado.

Fatores que interferem no risco cirúrgico

Idade

Um paciente idoso requer mais atenção do que um adulto. Por isso, neste tipo de paciente, os exames serão mais detalhados, em busca de lesões senis principalmente no coração, rins e fígado.

Raça

Gatos de raças braquicefálicas podem ter estreitamento da luz da traqueia. Caso tenham uma depressão respiratória importante, a intubação tende a ser dificultosa, e isso pode ser fatal. Por isso, exames de imagem são indispensáveis.

Obesidade

Animais com excesso de peso apresentam alterações inflamatórias importantes, mudanças nos fatores de coagulação e disfunções hepáticas pela deposição de gordura no órgão, o que afeta sobremaneira o metabolismo das drogas anestésicas.

Doenças preexistentes

Animais que apresentam enfermidades renais, endócrinas, cardíacas ou hepáticas têm o metabolismo dos medicamentos anestésicos afetado. Isso compromete a vida do felino que vai passar por um procedimento anestésico e cirúrgico.

Cuidados pré-operatórios

O cuidado pré-operatório envolve principalmente o exame físico e pré-anestésico realizado no animal, para que ele passe pelo processo de anestesia e cirurgia com mais segurança. O objetivo desses exames é detectar possíveis alterações que aumentam o risco da cirurgia para o animal.

Exame físico

O exame físico do paciente é o início dos cuidados que devem ser realizados antes da cirurgia em gatos. É nessa fase do processo que o veterinário irá determinar quais exames ele vai solicitar após avaliar alguns parâmetros vitais, como:

Hidratação

O estado de hidratação do gato é avaliado pela prova do turgor da pele, brilho dos olhos e das mucosas oral e ocular, e pelo tempo de preenchimento capilar, observado pela compressão da gengiva e retorno da coloração ao normal após a descompressão.

Mucosas

As mucosas dos gatos são avaliadas pela visualização das mucosas ocular, oral e genital. A coloração normal dessas mucosas é rosada, e elas devem estar brilhantes e livres de feridas.

Linfonodos

Os linfonodos, gânglios linfáticos ou ínguas devem ser palpados e avaliados quanto ao tamanho ou presença de dor. Quando estão aumentados de tamanho, podem indicar neoplasia linfática, inflamação ou infecção.

Auscultação cardiopulmonar

Ao auscultar o coração e o pulmão do gato, o veterinário pode suspeitar de alguma doença nesses órgãos, caso perceba sons diferentes do normal. Assim, exames de imagem são necessários para o correto diagnóstico.

Palpação abdominal e da tireoide

Ao palpar o abdômen do gato, o veterinário avalia os órgãos abdominais para detectar principalmente o aumento de volume anormal em algum desses órgãos. Ao palpar a tireoide, a busca é pelo aumento anormal dessa glândula.

Temperatura retal

A aferição da temperatura retal deve estar entre 37,5º C e 39,2º C. Temperaturas maiores podem indicar infecção. Temperaturas mais baixas podem indicar desidratação, doença renal e choque nos casos mais graves.

Exames pré-anestésicos mais comumente requisitados

Hemograma

O hemograma é um exame de sangue que fornece informações sobre o estado geral do gato. Detecta alterações como anemias, doenças hemoparasitárias, infecções e trombocitopenia, que pode causar sangramentos, o que aumenta o risco cirúrgico.

Gato deitado.

Função hepática

O fígado é o órgão responsável por metabolizar a maioria dos medicamentos usados durante a cirurgia em gatos. Com isso, avaliar sua função é necessário para que o animal fique bem durante e após a cirurgia.

Função renal

O rim é o órgão responsável pela filtração, inativação e excreção dos medicamentos utilizados para a realização da anestesia e da cirurgia em gatos. Então, verificar que seu funcionamento está normal é importante para o bem-estar do animal.

Exame de urina (solicitado em casos específicos)

O exame de urina complementa a avaliação da função renal do paciente. A coleta geralmente é feita no laboratório, por meio da cistocentese, método que coleta a urina diretamente da bexiga do gato.

Eletrocardiograma e ecodopplercardiograma

Esses exames avaliam como o coração do gato está. O eletrocardiograma verifica a atividade elétrica do órgão. O ecodopplercardiograma é um ultrassom e vai demonstrar possíveis alterações anatômicas e no fluxo de sangue do coração.

Outros exames de imagem

Outros exames de imagem, como raio-x de tórax ou o ultrassom abdominal, podem ser solicitados caso o médico-veterinário julgue ser necessário para confirmar ou descartar alguma alteração observada no exame físico ou nos exames de sangue e urina.

Jejum

Para a realização da cirurgia, é preciso que o gato faça jejum alimentar e hídrico. O tempo desses jejuns vai depender da idade e peso do animal, além da temperatura ambiente. Geralmente, o alimentar é de 8 a 12 horas, e o hídrico, de 4 a 6 horas antes da cirurgia.

Roupa pós-cirúrgica, protetores de membros ou colar elizabetano

Providencie o que o médico-veterinário solicitar para a proteção da ferida cirúrgica. Essa proteção vai depender da localização da cirurgia. O colar elizabetano é o menos indicado para gatos.

O retorno ao lar

Após a cirurgia, mantenha seu gato em algum cômodo tranquilo, onde não tenha como ele subir em nada. Deixe comida e água disponíveis, mas não o force a comer ou beber. Forneça os medicamentos e curativos receitados pelo veterinário.

Gato olhando para a câmera.

Esses são os cuidados básicos para que a cirurgia em gatos seja um sucesso. Caso seu bichano precise desse procedimento, pode contar com o Hospital Veterinário Seres. Procure-nos e surpreenda-se!

Aqui você encontra artigos incríveis sobre saúde e cuidados que podem ajudar a melhorar o bem-estar de seu bichinho de estimação, seja qual for a espécie do pet. Afinal de contas, o nosso instinto é cuidar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias relacionadas

Ver todas notícias
Tem um gato ansioso? Confira aqui o que fazer para ajudá-lo!

Tem um gato ansioso? Confira aqui o que fazer para ajudá-lo!

#gatos
19 novembro 2022

Olhos vigilantes e atentos a tudo. Sustos constantes. Agitação. Hiperatividade. Coração acelerado. Se seu animal está apresentando esses sintomas, você […]

Continuar lendo
Percebeu o gato soltando muito pelo? Nós podemos te ajudar!

Percebeu o gato soltando muito pelo? Nós podemos te ajudar!

#gatos
16 novembro 2022

Todo tutor sabe que gatos perdem pelo e, às vezes, até parece que é proposital. Porém, um gato soltando muito […]

Continuar lendo
Confira dicas de como limpar dente de gato

Confira dicas de como limpar dente de gato

#gatos
15 novembro 2022

Para manter a saúde e os cuidados do seu bichano em dia, além das vacinações, vermífugos, brincadeiras e cuidados com […]

Continuar lendo
Dente de gato caindo: saiba se isso é normal

Dente de gato caindo: saiba se isso é normal

#gatos
12 novembro 2022

A maioria dos tutores de gato são muito atentos a tudo o que acontece com eles. No entanto, alguns problemas […]

Continuar lendo
O que você precisa saber sobre vacina para gato

O que você precisa saber sobre vacina para gato

#gatos
07 novembro 2022

Quando adotamos um bichinho de estimação, é normal que surjam muitas dúvidas quanto aos cuidados com a sua saúde, especialmente […]

Continuar lendo
Gato pode tomar dipirona, mas somente sob prescrição!

Gato pode tomar dipirona, mas somente sob prescrição!

#gatos
14 setembro 2022

Medicar os gatos não é tarefa fácil para nenhum tutor. Imagina, então, se for a dipirona! Seu gosto ruim dificulta […]

Continuar lendo
Vamos descobrir se pode dar Buscopan para gatos?

Vamos descobrir se pode dar Buscopan para gatos?

#gatos
12 setembro 2022

Os gatos estão ganhando espaço dentro dos lares brasileiros e, em breve, a expectativa é que ultrapassem o número de […]

Continuar lendo
Gato com ferida exposta: o que pode ser?

Gato com ferida exposta: o que pode ser?

#gatos
09 setembro 2022

Gato com ferida exposta é um problema recorrente entre os tutores. Há diversos motivos que podem resultar em um machucado, […]

Continuar lendo
Não é normal ter um gato com diarreia. Saiba o que pode ser

Não é normal ter um gato com diarreia. Saiba o que pode ser

#gatos
25 agosto 2022

Os gatos são muito higiênicos e escondem as fezes depois de usarem a caixinha. Por isso, muitas vezes, o tutor […]

Continuar lendo

Assine nossa newsletter e receba novidades.