O cálculo renal em gatos, que é popularmente conhecido como “pedra nos rins”, pode ser formado por vários motivos. Porém, o fato de os bichanos serem muito exigentes quanto à qualidade da água que bebem pode estar diretamente ligado a isso. Descubra os sintomas de cálculo renal em gatos e veja o que fazer.

gato deitado na grama

Como o cálculo renal em gatos é formado?

Os rins filtram o sangue do corpo do animal para que as substâncias não desejadas possam ser eliminadas na urina. A formação de cálculo renal gatos se dá quando minerais se acumulam nos rins a ponto de originarem as “pedras”. Elas podem ser formadas por:

  •     Estruvita e oxalato de cálcio;
  •     Urato de amônio;
  •     Fosfato de cálcio e cistina,
  •     Xantina e sílica.

Os cálculos de estruvita são mais frequentes em fêmeas e podem ser dissolvidos ou evitados com uma dieta que leve à alteração do pH urinário. Já a hipercalcemia, bem como a administração de alguns tipos de diuréticos, pode favorecer a formação de cálculo renal nos gatos por oxalato de cálcio.

Há ainda os urólitos de urato de amônio, que são formados quando a quantidade de ácido úrico na urina é maior do que a normal. Muitas vezes, são resultantes de doenças no fígado, o que pode levar a excretar uratos de amônia em maior quantidade.

Os urólitos de fosfato de cálcio e cistina não são comuns, mas quando acontecem em gatos, costumam acometer mais fêmeas do que machos. Eles podem estar ligados a excesso de fósforo e cálcio na alimentação oferecida ao animal ou a um quadro de hiperparatireoidismo primário.

Por fim, o cálculo renal em gatos ocasionado por xantina e sílica é raro e, no geral, é secundário a, por exemplo, a administração de alopurinol. Os formados só de sílica são relacionados ao aumento de silicatos na dieta e também são raros em pequenos animais.

Causas do cálculo renal em gatos

Embora a pouca ingestão de água seja um problema diretamente ligado à formação de urólitos, há outras causas ou predisposições que devem ser levadas em conta. Dentre elas, podemos destacar:

  •     Alimentação inadequada e não balanceada, quando grande quantidade de cálcio ou fósforo são oferecidas ao bichano;
  •     Predisposição racial (Birmanês e Persa);
  •     Infecções urinárias não tratadas;
  •     Animais com mais de cinco anos de idade,
  •     Administração de alguns medicamentos contínuos.

gato parado com cara de bravo

Sinais clínicos

No geral, a formação de cálculo renal em gatos costuma ser silenciosa. Quando o tutor chega a identificar os primeiros sintomas de cálculo renal em gatos é porque a doença e as complicações resultantes dela já estão avançadas. Por isso, é importante ficar atento a qualquer sinal, dentre eles:

  • Falta de apetite;
  • Vômito;
  • Dor ao urinar;
  • Dificuldade em urinar;
  • Presença de sangue na urina;
  • Vocalização (gemidos) na hora de fazer xixi,
  • Lambedura frequente na região genital.

Para que o tutor consiga identificar rapidamente os sintomas de cálculo renal em gatos, é preciso ficar sempre atento ao comportamento do pet. Além disso, é indicado limpar a caixa de areia com atenção, para observar se há sangue na urina.

Diagnóstico e tratamento

Ao levar o pet ao médico-veterinário, o profissional poderá fazer diversos questionamentos para saber o histórico do bichano. É importante que o tutor ou a pessoa que vá levar o felino para ser examinado saiba responder sobre os hábitos do animal, como, por exemplo, se bebe água e qual alimento recebe.

Isso poderá auxiliar na determinação do diagnóstico. Além disso, o pet será examinado e, provavelmente, o profissional irá pedir alguns exames. O mais comum é a urinálise, ou seja, o exame de urina, para avaliar pH, densidade, infecções que possam existir e presença de cristais.

Além disso, pode ser necessário realizar um exame de ultrassonografia e/ou radiografia para fazer uma avaliação mais completa. Com o diagnóstico definido, é preciso começar o tratamento.

Não há um remédio específico para cálculo renal em gatos. Em machos, no geral, o primeiro passo é tentar desobstruir a uretra, que é mais fina do que nas fêmeas. Por isso, é frequentemente obstruída pelo cálculo renal que está sendo expelido do corpo do bichano.

Isso pode ser feito com o uso de uma sonda ou, em alguns casos, por meio cirúrgico. Além disso, será necessário corrigir o que está causando a formação dos urólitos. Se for o de estruvita, por exemplo, será preciso corrigir a alimentação.

Por fim, a administração de antibióticos costuma ser prescrita para tratar infecção renal ou em outra região do trato urinário. O fornecimento de água fresca à vontade também faz parte da manutenção da saúde do pet que está sendo tratado.

rosto de gato em fundo desfocado

Em alguns casos, a alimentação natural poderá até ser uma opção. Você a conhece? Saiba mais sobre ela e veja o que os bichanos podem comer