A hipertensão arterial sistêmica, conhecida como pressão alta, é resultante do aumento da força do sangue contra a parede das artérias. Ela acomete os humanos e os animais. Então, o cachorro tem pressão alta.

Pug deitado olhando para o lado.

A hipertensão arterial é uma das doenças silenciosas muito comum na medicina humana e também na veterinária. Ela pode ser classificada como primária (sem causa definida) ou secundária a outras enfermidades. 

A pressão alta secundária a outras doenças veterinárias ocorre na maioria dos casos em  cães, sendo assim, é sempre providencial realizar a aferição da pressão arterial sistêmica de forma rotineira em pets de meia-idade e idosos, para garantir maior  longevidade e bem estar a eles.

A pressão arterial normal é regulada por diversos mecanismos coordenados pelo sistema nervoso central e pelos receptores sensoriais, responsáveis por perceber as variações da pressão em diversos lugares das artérias do cão.

Vários estudos já foram realizados para definir a pressão arterial normal dos animais. Com isso, descobriu-se que existem diferenças entre as espécies, os sexos, as idades e as raças. Confira um pouco mais sobre se cachorro tem pressão alta.

Problemas decorrentes da pressão alta

O aumento persistente da pressão arterial sistêmica provoca lesões nos chamados órgãos alvos, que são principalmente o coração, os rins, os olhos e o cérebro do animal, causando sintomas inespecíficos.

Como a hipertensão arterial é silenciosa no início, as lesões nesses órgãos determinam sintomas perceptíveis ao tutor, que leva o cachorro passando mal para uma consulta com o médico-veterinário, recebendo o diagnóstico de pressão alta.

Endocrinopatias relacionadas com hipertensão

Diabetes mellitus

A diabetes mellitus é uma deficiência na produção da insulina, hormônio responsável pelo transporte da glicose para as células. A insulina também tem efeito vasodilatador, por isso animais diabéticos podem ter hipertensão arterial.

Obesidade

A obesidade é a doença nutricional mais comum nos cães. Há uma forte relação entre essa enfermidade e a pressão alta em cães, além de ser fator de risco para desenvolvimento de moléstias no coração e nos rins.

Hiperadrenocorticismo

O hiperadrenocorticismo é outra doença comum no cachorro com pressão alta, ela é caracterizada pela secreção excessiva de glicocorticoides pela adrenal. É uma doença que afeta muitos sistemas, entre eles, o de controle do sódio no sangue. O aumento eleva a pressão arterial nessa enfermidade.

Aferição da pressão arterial

A pressão arterial dos cães pode ser mensurada de forma direta, com a colocação de um cateter em uma artéria. Como o método é invasivo e dolorido, só é feito com o animal anestesiado, por isso não é uma rotina na clínica.

A técnica indireta é a forma rotineira para a aferição da pressão arterial. Ela é feita por aparelhos, como é realizada no ser humano. Não causa dor, por isso é feita com o cachorro acordado na consulta com o médico-veterinário.

Cachorro deitado no grama.

O procedimento deve ser feito com o animal o mais relaxado possível, de preferência em um ambiente calmo. A presença do tutor geralmente é benéfica, pois deixa o cão mais tranquilo.

São feitas de 3 a 5 medições com intervalo de 30 segundos a 1 minuto. Os valores normais são entre 110 e 120, mmHg na pressão sistólica, e 70 a 80 mmHg, na pressão diastólica, respeitando-se as diferenças citadas acima, entre sexo e raça.

Assim como nos humanos o “efeito do jaleco branco” ocorre nos cães e nos gatos. Trata-se do aumento da pressão arterial na presença do médico ou, no caso dos animais, do veterinário.

Sintomas de pressão alta em cães

Os sintomas de pressão alta em cães são variados, ele pode apenas estar mais quietinho (por que o cãozinho não pode nos dizer que está se sentindo mal), ou já apresentar sintomas mais drmáticos como andar em círculos, cansaço, tosse seca,, na urina e nos olhos, visão prejudicada, hiperatividade, pupila dilatada, consumo de mais água e urina mais frequente que o normal.

Pressões acima de 180 mmHg que ocorrem de forma repentina são mais comumente associadas com lesões no sistema nervoso central e nos olhos, como a retinopatia hipertensiva e a hemorragia intraocular. Pressões de 160 mmHg resultam em lesões nos demais órgãos, principalmente nos rins.

O tratamento do cachorro com pressão alta sistêmica da forma secundária é feito com medicamentos orais e da identificação e tratamento da causa de base. É difícil predizer em quanto tempo a pressão se estabiliza aos valores normais, mas quando o tratemtno é iniciado já podemos oferecer alívio aos sintomas. 

Por isso, o acompanhamento com o médico veterinário faz parte da rotina de como cuidar de cachorro hipertenso.

Cachorro deitado no chão.

Agora que você já sabe que cachorro tem pressão alta e apresenta sintomas, se achar que seu melhor amigo pode estar hipertenso, procure um médico-veterinário o mais rápido possível. Se precisar, nós, da Seres, estamos à disposição para ajudá-lo!