Entre as inúmeras doenças oftálmicas que podem afetar os pets, há uma chamada úlcera de córnea em cães. Quando o peludo é acometido por ela, ele sente bastante dor. Veja como proceder e quando desconfiar que o cão tem essa enfermidade.

úlcera de córnea em cães

O que é úlcera de córnea em cães?

A córnea é uma estrutura que fica sobre a íris e protege o olho. Quando a córnea sofre uma lesão, acontece o que é chamado de úlcera de córnea canina.

O pet sente muito desconforto. Por isso, é de suma importância que o animal seja tratado o quanto antes. Além disso, o tratamento rápido também evita que o quadro se agrave ou que o pet fique com sequelas.

Por que o cachorro tem úlcera de córnea?

A úlcera na córnea do cachorro pode ter origens diferentes, que vão desde um trauma durante a brincadeira até um problema de produção lacrimal, por exemplo. Até mesmo o secador usado depois do banho pode levar ao desenvolvimento da úlcera de córnea em cachorro.

Nesse caso, quando o ar está muito quente e é apontado para os olhinhos do pet, pode lesionar a córnea causando a úlcera. Além do trauma, outras causas possíveis são, por exemplo:

  • Deficiências lacrimais;
  • Disfunções da pálpebra;
  • Alterações anatômicas,
  • Infecções por vírus, fungos, entre outros agentes.

Descobrir qual é a causa da úlcera no olho em cães é essencial para definir como tratar úlcera de córnea em cães de maneira adequada. Para isso, conte sempre com a ajuda do médico-veterinário, se possível, com especialização em oftalmologia.

úlcera de córnea em cães

Há cães com mais risco de ter a úlcera na córnea?

De acordo com a médica-veterinária da Seres Dra. Mariana Sui Sato, nos últimos anos, diversos estudos apontaram para a maior incidência da úlcera de córnea em algumas raças.

Sobre essas pesquisas, a veterinária cita um trabalho realizado no Reino Unido, que demonstrou que o Pug é a raça que mais sofre com problemas de visão canina. Entretanto, um estudo feito no Brasil, verificou um grande número de úlcera de córnea em cães da raça Shih-Tzu.

“Independentemente da raça, o que é perceptível nesses estudos é que animais braquicefálicos possuem mais chance de apresentar úlcera de córnea”, diz a especialista.

Isso ocorre porque cães braquicefálicos (com focinho curto) possuem pregas nasais e olhos salientes, características que favorecem as lesões corneanas. Entre as raças com essas características estão: Bulldogues Inglês e Francês, Boston Terrier, Pequinês, Pug, Shih-tzu, entre outros.

“A conformação dos olhos, que são proeminentes, pode levar à incapacidade física de fechar as pálpebras completamente. O que deixa a córnea mais exposta, enquanto as pregas nasais podem entrar em contato direto com a superfície do olho. Dessa forma, essas pregas causam uma úlcera de origem traumática”, diz a Dra. Mariana.

Quando desconfiar de úlcera de córnea em cães?

Há alguns sinais clínicos que podem sugerir que o pet está com úlcera de córnea. Caso o tutor note qualquer um deles, precisa levar o peludo ao médico-veterinário. Entre os possíveis sinais há:

  • Opacidade da córnea, que permite que o tutor veja uma manchinha no olho do pet;
  • Blefaroespasmo (contração involuntária da pálpebra);
  • Dor;
  • Perda de visão;
  • Aumento da produção lacrimal;
  • Fotofobia (pet incomodado com a luz),
  • Vermelhidão na região dos olhos.

Um dos sinais mais importantes da úlcera de córnea, a dor, pode levar a outros sintomas menos específicos, como prostração, falta de apetite e perda de peso.

Diagnóstico de úlcera de córnea

Durante o exame do peludo, o médico-veterinário fará um exame, usando um colírio, para saber se há ou não lesão na córnea. “A fluoresceína é um corante que não ultrapassa o tecido ocular saudável, mas fica esverdeado na presença de lesões”, explica a médica-veterinária Mariana.

O uso desse colírio é importante porque ele colore os locais com lesão e permite que o médico-veterinário avalie a gravidade do quadro e confirme o diagnóstico. O colírio não faz mal ao peludo ,e o exame é rápido, feito no próprio ambulatório.

Tratamento da úlcera de córnea em cães

É importante destacar que o tutor nunca deve usar remédio caseiro para úlcera de córnea em cães. Caso pingue qualquer coisa no olhinho do peludo, provavelmente vai piorar a situação e corre o risco de deixá-lo cego. Por isso, siga sempre a indicação do médico-veterinário.

No geral, é prescrito um colírio para úlcera de córnea em cães. “Na úlcera de córnea, o tratamento tem como objetivo minimizar os danos causados, auxiliar o organismo no reparo do tecido corneano e preservar a principal função dos olhos, que é enxergar”, finaliza Mariana.

úlcera de córnea em cães

Embora a úlcera de córnea em cães deixe manchinhas esbranquiçadas no olho do pet, essa não é a única doença que causa esse sinal clínico. Veja outras possibilidades.