Seria muito tranquilo se nossos gatos pudessem nos dizer quando sua cavidade oral dói, não? Infelizmente, porém, um gato com dor de dente é mestre em esconder a dor. Parece haver um componente instintivo ancestral de quando demonstrar fraqueza podia significar a morte!

Gato deitado no colo do tutor.

Sendo assim, quando somos capazes de perceber os sinais inconfundíveis de que gato tem dor de dente ou dor na boca, como salivação excessiva ou bater os dentes, normalmente os problemas dentários já estão avançados…

Vem com a gente explorar os sinais sutis dos problemas no dente de gato, garantindo que os bichanos tenham atendimento precoce, mantendo qualidade de vida e longevidade.

Qual é a causa da dor bucal?

São várias causas que podem levar a um gato com dor na região oral. Doenças periodontais e reabsorção dentária, se não tratadas, levam à dor crônica e à infecções que podem afetar os órgãos!

Nas doenças periodontais, os felinos adultos podem ter inflamações ou infecções das gengivas, de leves a graves, afetando os tecidos ao redor dos dentes. Sem controle, pode levar a retração gengival, perda óssea e até infecção da raiz, deixando o gato com dor de dente.

Alguns bichanos têm reabsorção dentária, um estado com causas pouco compreendidas, mas que leva a lesões que formam cavidades nos dentes, ficando dolorosas conforme progridem e expõem a polpa dentária. Os dentes podem chegar a quebrar de tão frágeis.

Se você perceber alguns desses sinais, fique atento e pense em levar seu felino a uma consulta com o médico-veterinário, pois como ele esconde a dor, é preciso prestar atenção em outros sinais do gato com dor de dente:

  • mau hálito;
  • gengivas muito vermelhas;
  • acúmulo de tártaro;
  • pelo sem cuidado, especialmente nas costas e no quadril. Isso ocorre porque o gato deixa de fazer o autogrooming por dor na boca;
  • excesso de saliva ou saliva avermelhada ao redor da boca;
  • falta de apetite ou apetite extremamente seletivo, especialmente por alimentos úmidos ou enlatados;
  • diminuição do interesse em guloseimas difíceis;
  • estalo dos lábios, batendo os dentes;
  • perda de peso;
  • rosto inchado (edema facial);
  • corrimento nasal, com ou sem espirros;
  • relutância em esfregar as bochechas ou se deixar ser acariciado nessa região.

Lembrando que seu gato com dor pode não demonstrar nenhum desses sinais, ou então, serem muito sutis, mesmo quando o problema e a dor estiverem graves. Por isso, é importante pensar em levar seu bichano com regularidade ao veterinário. 

Ademais, os problemas dentários podem ter um fundo mais sério, como fraturas, abscessos na raiz do dente ou tumores orais. Por isso, um programa de check-up bucal pode ser um ótimo investimento, encontrando o problema no início e permitindo o tratamento correto.

Gato branco deitado no sofá.

E o melhor tratamento para gatos com dor de dente?

Pensando nas inúmeras possibilidades de origem da dor, tratar a raiz do problema é uma das possíveis atitudes do veterinário. Isso porque qualquer medicamento para ajudar o gato com dor de dente funcionará por curto período, uma vez que a origem do problema permanece.

Então, se remédio para dor de dente em gatos não é uma solução, o que pode ser feito? Alguns testes de sangue para verificar a possibilidade de uma anestesia geral e saber a saúde geral do seu bichano. Aproveitando que a anestesia é estressante, vários procedimentos podem ser feitos nesse momento.

Uma limpeza dental com a remoção de tártaro para ver todos os dentes. O tecido da gengiva também é analisado e, a critério médico, pode ser necessário um raio-x dentário para avaliar as raízes e se há alguma cavitação ou reabsorção dental.

Com todas essas informações em mãos, o veterinário poderá instaurar algum tratamento dentário específico para seu gato com dor de dente, como extração dentária pontual. Pode ocorrer prescrição de medicamentos orais, como antibióticos ou analgésicos.

Como a dor de dente pode ser prevenida?

Como os humanos cuidam dos dentes todos os dias, os gatos também precisam de tratamentos dentários regulares. Podemos pensar em duas frentes: a domiciliar e a veterinária, ambas complementares.

Acostumar seu gatinho desde filhote com a escovação dentária é uma excelente opção! Escovar uma vez ao dia impede que a placa bacteriana comece a endurecer e se transforme em tártaro. Mas caso seu bichano já seja adulto, aconselhamos uma conversa com seu veterinário sobre dicas de escovação ou de mastigadores.

Já o atendimento veterinário complementar aparece uma vez ao ano, com uma limpeza mais abrangente. Gatos jovens podem demorar alguns anos antes da primeira limpeza, especialmente pensando nas predisposições genéticas e no quanto o tratamento domiciliar está sendo eficaz.

Gatos mais velhos podem precisar de uma intercessão veterinária, em alguns casos, a cada seis meses. Tudo para que a dor de dente em gatos não altere seu comportamento e sua alegria de viver.

Gato deitado.
A prevenção é sempre mais indicada do que o tratamento, e aqui, na Seres, nossa equipe entende sua preocupação e seu amor pelo seu gato com dor de dente! Estamos sempre prontos a discutir as melhores soluções para manter seu bichano saudável e feliz.