As cirurgias em animais podem ser realizadas para tratar uma doença ou de forma eletiva, como é o caso da castração de cachorro. Seja qual for o caso, como o procedimento requer, quase sempre, anestesia geral, é preciso tomar alguns cuidados antes e depois da cirurgia. Descubra quais são e prepare o seu pet!

Exames feitos antes da cirurgia em animais

Se você conhece alguém que já fez uma cirurgia, provavelmente ficou sabendo que a pessoa realizou diversos exames antes do procedimento. O mesmo acontece quando a cirurgia veterinária é realizada. Para saber se o animal pode passar pelo procedimento, é preciso realizar o exame físico e alguns laboratoriais.

Cães em uma sala para cirurgia em animais

Ao analisá-los, o médico-veterinário poderá definir se o pet pode ser submetido ao procedimento e à anestesia, com riscos dentro do esperado para a média da população. Por isso, é comum que o profissional solicite exames como:

  • Hemograma;
  • Leucograma;
  • Bioquímico;
  • Eletrocardiograma;
  • Ultrassonografia;
  • Exame de urina,
  • Teste glicêmico.

No geral, esses exames são realizados no dia que antecede a operação ou até 30 dias antes da cirurgia no pet. Depois que o profissional tiver os resultados em mãos, poderá avaliar se o procedimento pode ser feito.

Caso a clínica ou hospital no qual o seu animal está sendo tratado entregue os exames a você, é importante levá-los no dia da cirurgia. Há também ocasiões nas quais a cirurgia em animais é feita em situação de emergência.

Quando isso acontece, nem sempre é possível fazer todo o protocolo de exames, já que a vida do animal depende de a cirurgia ser feita rapidamente.

Deixe o pet limpinho

Um centro cirúrgico é um ambiente cuidadosamente higienizado para que o animal possa ser operado sem correr o risco de ser acometido por uma infecção secundária. Assim, a necessidade de limpeza também se dá com o animal.

Antes de uma cirurgia em gato ou cachorro, é preciso ficar atento para que o pet vá limpo para a clínica. Se seu animal de estimação costuma brincar na lama ou na terra, por exemplo, dê um banho quente e seque-o.

Cãozinho branco nos braços de um médico-veterinário

Caso seja uma cirurgia em cachorro de pelo longo, é indicado levá-lo tosado, nem que seja apenas a tosa higiênica. Isso ajuda a manter tudo ainda mais limpinho. É por isso que, antes do procedimento cirúrgico, também será feita a raspagem do pelo no local da incisão.

Isso é realizado no hospital veterinário e visa impedir tanto que os pelos caiam na incisão como que acumulem sujeira, tornando o local propício para a proliferação bacteriana.

Por fim, a remoção dos pelos por meio de raspagem permite que a higienização da pele, com produtos apropriados, seja feita com mais eficiência antes da cirurgia em animais ter início.

Jejum antes da cirurgia em animais

O médico-veterinário provavelmente vai recomendar que você deixe o animal em jejum alimentar por 12 horas antes da cirurgia. Além disso, o jejum hídrico também deverá ser recomendado, em período variável.

É muito importante que o tutor siga exatamente a recomendação do profissional. Caso o animal não faça jejum, como recomendado, ele poderá vomitar após ser anestesiado. Isso pode levar a complicações, como um quadro de pneumonia aspirativa, por exemplo.

Providencie roupa cirúrgica e/ou colar elizabetano

O gato ou cachorro após cirurgia vai precisar de uma roupa cirúrgica ou de colar elizabetano. Ambos são para preservar a saúde do animal e fazer um pós-operatório correto, pois protegem o local e impedem que o pet lamba a incisão, podendo até tirar os pontos.

Cachorro com roupa cirúrgica em uma sala de operações

Quando isso acontece, é preciso realizar uma nova cirurgia. Converse com o médico-veterinário do animal para saber se ele precisará de roupa cirúrgica ou do colar.

Siga tudo que o médico-veterinário orientar, e o pós-cirúrgico dará certo. Caso seu pet precise de atendimento, o Seres conta com a estrutura ideal para cirurgia em animais. Entre em contato conosco!