O pet está tentando fazer xixi e não consegue? Esse pode ser um sinal de urolitíase em cães, doença que é popularmente chamada de pedra no rim ou na bexiga. Caso seu peludo tenha qualquer sinal dessa enfermidade, é preciso levá-lo rapidinho ao médico-veterinário. Veja quais são os possíveis tratamentos e o que fazer.

urolitíase em cães

O que é a urolitíase em cães?

A urolitíase em cães é popularmente chamada de pedra na bexiga de cachorro ou no rim. Ela é formada quando há uma grande concentração de partículas sólidas (em geral, minerais) na urina do pet.

Quando esses minerais se acumulam, eles formam cristais na bexiga de cães. Assim, podemos dizer que urolitíase em cães é a formação de cálculos urinários decorrente do depósito de minerais.

Embora as substâncias que constituem os cálculos possam ser variadas, nos cachorros, as mais comuns são oxalato de cálcio e estruvita. Além disso, uma mesma pedrinha pode ser formada de apenas um tipo de mineral ou de vários tipos.

Por isso, para identificar a composição do cálculo, o médico-veterinário vai precisar extraí-lo. Depois disso, será realizado um exame laboratorial que poderá definir do que a pedrinha é formada.

Por que um peludo tem urolitíase?

Mas, afinal, o que faz um pet desenvolver essas pedrinhas na bexiga? Na verdade, há várias características que tornam o pet predisposto ao desenvolvimento da urolitíase em cães. No geral, elas têm ligação com a rotina do bichinho.

Quando o manejo diário do animal faz com que a urina dele fique supersaturada (concentrada), a possibilidade de ele ter esse problema de saúde é maior. Os cães que moram em apartamentos, por exemplo, e que só fazem xixi na rua, tendem a ter a supersaturação urinária.

Isso acontece porque, na maioria das vezes, eles precisam esperar o tutor acordar ou chegar do serviço para fazer xixi. Por isso, acabam urinando menos vezes do que precisam e até bebendo menos água do que o necessário. Assim, as chances de apresentarem urolitíase aumentam.

Alimentação e água

Outra causa possível é quando o peludo recebe uma alimentação inadequada. Muitos tutores não trocam a ração do cachorro quando ele passa da infância para a fase adulta. Assim, seguem dando ao pet já adulto uma ração para filhotes, que é rica em cálcio.

Quando isso acontece, o animal tem mais chance de ter cálculo urinário. Afinal, a quantidade de cálcio e de outros nutrientes é maior na ração para filhotes, o que é inadequado para o pet adulto.

Há ainda os cães que têm pouco acesso à água e acabam tendo mais chances de desenvolver a urolitíase. Quando o tutor deixa o animal no quintal com um pote pequeno de água e passa o dia fora, a água vai acabar.

Dessa forma, mesmo com sede, ele não terá como se hidratar devidamente. Como consequência, a urina ficará supersaturada, e o pet terá mais chances de ter cálculo urinário.

Resumidamente, podemos dizer os seguintes fatores aumentam a possibilidade do desenvolvimento da urolitíase em cães:

  • Retenção urinária;
  • Pouco acesso à água;
  • Infecção na bexiga, que pode favorecer a formação dos cálculos,
  • Dieta inadequada, com excesso de vitaminas, cálcio ou proteínas.

Raças que têm predisposição

Há ainda algumas raças de cães que têm predisposição para o desenvolvimento do quadro de urolitíase em cães. São elas:

  • Pug;
  • Dálmata;
  • Shih-Tzu;
  • Chihuahua;
  • Lhasa Apso;
  • Dachshund;
  • Bichon Frise;
  • Bulldog Inglês;
  • Yorkshire Terrier,
  • Schnauzer Miniatura.

urolitíase em cães

Manifestações clínicas de cães com pedra no rim

Você sabia que é possível que seu peludo já tenha o cálculo, mas não apresente nenhum sinal clínico? Isso acontece porque, por vezes, a formação é lenta e demora um pouco até que a pedrinha cause problema.

Porém, existem alguns sinais de que o animal pode ter pedra na bexiga. Caso note algum deles em seu peludinho, entenda que é necessário levar o bichinho imediatamente ao médico-veterinário. São eles:

  • Aumento abdominal;
  • Dor na hora de urinar e baixa eliminação urinária;
  • Dificuldade para fazer xixi;
  • Presença de sangue na urina,
  • Micção em local inadequado.

No geral, esses sinais estão ligados ao fato de os cálculos já terem progredido no trato urinário e estarem atrapalhando a eliminação da urina. Quando isso ocorre, o cachorro com pedras precisa de socorro imediato.

Diagnóstico e tratamento de pedra no rim em cachorro

A urolitíase em cães tem tratamento! Ao levar o cachorro com cálculo ao médico-veterinário, o profissional vai perguntar o histórico e fazer o exame físico. Embora, muitas vezes, os primeiros procedimentos já sejam feitos na sequência, é possível que sejam solicitados exames como:

  • Exame de urina;
  • Hemograma (exame de sangue);
  • Raio-x e ultrassom abdominal,
  • Cultura e antibiograma, caso o profissional suspeite de infecção associada ou não ao quadro de urolitíase em cães.

Não há um remédio para cristais na urina do cachorro específico. O protocolo de tratamento vai depender da localização do cálculo. No geral, há a necessidade de fazer o uso de sonda, para tentar desobstruir a uretra, quando a pedra já chegou até ela.

Contudo, muitas vezes, esse procedimento não é suficiente e é preciso submeter o pet à cirurgia. Além disso, em qualquer caso, é indicado alterar a dieta. O médico-veterinário provavelment, vai prescrever uma alimentação adequada para seu animal, para tentar impedir que novas pedras se formem.

Além disso, é possível que ele indique um antibiótico para o cachorro com pedras nos rins, caso também haja um quadro infeccioso. Seja qual for o protocolo adotado para tratamento de urolitíase em cães, é preciso que o tutor o siga corretamente, para que sinais da doença não voltem a aparecer.

Como evitar que o cachorrinho tenha pedra no rim?

Há alguns cuidados que ajudam a evitar que o animal sofra com os cálculos ou volte a apresentar sinais de urolitíase em cães. São eles:

  • Seguir cuidadosamente a dieta prescrita pelo médico-veterinário;
  • Oferecer ao pet água à vontade, sempre limpa e fresca,
  • Permitir que ele tenha acesso ao local onde faz xixi várias vezes ao dia ou sempre que precisar. Em apartamento, uma alternativa é ensinar o animal a usar o tapete higiênico.

urolitíase em cães

Caso note qualquer alteração com seu bichinho, entre em contato com o médico-veterinário imediatamente. Assim como a urolitíase em cães, a pancreatite também requer tratamento rápido. Veja o que é essa doença