A raiva canina é uma doença que merece uma atenção especial do tutor por dois motivos. O primeiro deles é que não há cura, ou seja, uma vez que o pet seja acometido, ele irá a óbito. O outro é que o vírus pode ser transmitido para pessoas. É isso mesmo: trata-se de uma zoonose! Então, veja como evitá-la! 

raiva canina

O que causa a raiva canina?

Afinal, o que é a raiva canina? Essa é uma doença causada por um vírus do gênero Lyssavirus. Ela pode acometer os peludos domésticos, as pessoas e até os animais silvestres. Dentre eles:

  • Guaxinins;
  • Gambás;
  • Macacos;
  • Gatos;
  • Cavalos;
  • Bois;
  • Morcegos.

Embora muitos municípios invistam na vacinação dos animais domésticos, ainda existem casos de pessoas que morrem por causa desse vírus. Em 2019, por exemplo, a raiva matou uma mulher de 58 anos que morava em Gravatal (SC). A suspeita é que ela tenha contraído a doença ao ser mordida por um gato.

Já em 2020, um adolescente de 14 anos foi mordido por um morcego hematófago, em Angra dos Reis (RJ), e acabou infectado. Ele viu o animal no curral, tentou matá-lo e acabou mordido. 

Isso mostra como os casos de raiva, tanto em animais como em humanos, estão presentes em todo o Brasil. Por isso, é de suma importância que os animais sejam protegidos por meio da vacinação anual. 

Como a raiva canina é transmitida para animais ou pessoas?

Para evitar a doença, é importante saber como se transmite a raiva canina. Como você viu nos dois casos citados, as vítimas tiveram contato com a saliva de um animal infectado. 

É exatamente assim que a transmissão acontece entre os animais também, ou seja, por meio do contato com a saliva de um animal infectado. Embora, na maioria das vezes, a doença aconteça por meio da mordedura, é possível contrair o vírus pela lambedura ou até arranhões de cachorro com raiva.

Após o animal ter sido infectado, o vírus migra para o sistema nervoso do hospedeiro e atinge diversos órgãos. Ele também se aloja nas glândulas salivares do doente. É dessa forma que acaba sendo transmitido para um animal sadio ou para uma pessoa. 

Quais são os sinais clínicos causados pela raiva canina?

A raiva em cães pode demorar para apresentar os primeiros sinais clínicos. Isso acontece porque o período de incubação é de, pelo menos, 15 dias, mas pode chegar a dois meses. Depois disso, a doença se manifesta em fases.

A primeira é a chamada de prodrômica. Nesse período, o tutor nota que o pet infectado pelo vírus da raiva canina começa a apresentar mudanças de comportamento.

raiva canina

Por ter essa caraterística de alterar a forma como o animal age, ficando mais bravo, muitos chamam essa fase de “raiva furiosa”. No geral, essa etapa dura aproximadamente quatro dias. O cachorro com raiva canina apresenta:

  • Agressividade;
  • Tendência a morder outros animais, objetos, o tutor e até a si mesmo;
  • Medo;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Demência.

Na sequência, acontece o que é chamado de “raiva canina paralítica”. Nela, é possível observar um aumento da salivação. Isso acontece porque os músculos responsáveis pela deglutição paralisam, e o cão não consegue engolir a saliva.

Entre os sintomas da raiva canina ainda é possível notar a alteração no latido, que se torna mais rouco. A falta de coordenação e a dificuldade em se alimentar também são relatadas pelos tutores. Quando a doença chega nessa fase, o animal costuma ir a óbito em até 48 horas.

Como o diagnóstico é feito?

O diagnóstico definitivo de raiva cachorro só é feito quando o animal morre. Durante a necropsia, são coletadas amostras do cérebro para procurar corpúsculo de Negri (inclusões virais). 

Entretanto, em vida, é possível realizar o diagnóstico presuntivo. Mas, para isso, o peludo precisará ser examinado por um médico-veterinário, que identificará os sinais clínicos e retomará o histórico do animal. 

É possível que ele solicite alguns exames complementares para descartar outras doenças neurológicas que possam causar os mesmos sintomas da raiva canina. 

Tratamento e prevenção da raiva canina

Como tratar a raiva canina? Raiva canina tem cura? Na verdade, não existe tratamento nem cura, ou seja, uma vez que o cão seja diagnosticado com a raiva canina, ele irá a óbito. Por isso, o melhor a ser feito é prevenir que o seu pet adoeça.

raiva canina

Para isso, você deve vaciná-lo anualmente. Comumente, a primeira dose da vacina é aplicada quando o cachorrinho tem menos de seis meses.

Além da raiva canina, que merece a sua atenção, há outra doença que acomete frequentemente os cães, chamada de leishmaniose canina. Saiba mais sobre ela