O gato se tornou muito popular nos dias atuais. Brincalhão e de fácil cuidado, está cada vez mais presente nos lares do mundo todo. No entanto, apesar de ser de fácil manejo, isso não o isenta de doenças, como é o caso da infecção urinária em gatos.

gato deitado em cama

A infecção urinária de gatos tem sintomas bastante parecidos com os dos humanos, porém com algumas causas diferentes. Sabemos que o gato é um animal que se estressa facilmente, e isso influencia sua saúde urinária.

Por que o gato é um animal estressado?

Sua história responde essa pergunta. Na natureza, ele pode ser tanto caçador, quanto presa de animais maiores. Quando ele sai para caçar, tem que ficar atento para não virar refeição.

Com isso, os felinos são animais adrenérgicos, ou seja, que mantêm a adrenalina sempre pronta. Se precisar perseguir uma presa, dá-lhe adrenalina! E se for para fugir, mais adrenalina ainda!

Esse alerta todo mantém o animal vivo quando em ambiente selvagem, porém, em seu habitat junto aos humanos, pode ser prejudicial e acarretar doenças. Dentre as doenças do trato urinário inferior dos felinos (DTUIF), a mais prevalente é a cistite intersticial felina, anteriormente denominada cistite estéril ou idiopática. Trata-se de uma condição autolimitante, com alta chance de recorrência que faz parte de algo maior: a Síndrome de Pandora.

Síndrome de Pandora

Este termo foi selecionado em analogia à Caixa de Pandora da mitologia grega, um lendário artefato fornecido por Zeus à primeira mulher criada por ele, com instruções de nunca a abrir. Ao desrespeitar sua ordem, Pandora libertou todos os males do    mundo. A história faz face à multiplicidade de órgãos afetados.

A Síndrome de Pandora é o termo usado para denominar um conjunto de distúrbios resultantes da Cistite Intersticial felina, que não caracteriza apenas problemas no trato urinário inferior, mas também aspectos psicológicos, endócrinos e imunológicos.

Sendo assim, esta alteração no corpo do gato possui caráter psicoimunoneuroendócrino, inflamatório e não infeccioso, causando lesões sistêmicas. Consequentemente, podendo abranger alguns órgãos dos felinos. 

Os sintomas de infecção urinária em gatos são parecidos com os do humano: ir muitas vezes ao banheiro e sair pouca urina, urina com sangue, dor ao urinar e, em felinos, “errar” a caixa de areia, fazendo o xixi fora dela, além de lambedura excessiva da genital e vocalização.

Se o animal for macho, pode ter a uretra obstruída mais facilmente, por uma espécie de tampão resultante da inflamação. Nesse caso, ele para completamente de urinar e deve ser levado ao veterinário com urgência.

Em casos de obstrução uretral, o paciente precisará de cuidados médicos específicos, por vezes necessitando de internação hospitalar. Dessa maneira, tendo em vista que o tratamento consiste em desobstrução com sonda uretral (o paciente deverá estar anestesiado). Assim, após o procedimento deverá receber analgesia satisfatória e manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico (com soro endovenoso). 

gato escondido

É possível usar antidepressivos (apenas o médico veterinário saberá a real necessidade de entrar com tal medicamento) como complemento ao tratamento para infecção urinária em gatos (quando associada à cistite intersticial felina), além da recomendação de aumentar o número de caixas de areia, enriquecimento ambiental e redução do estresse. A introdução do alimento úmido também faz parte da terapêutica da enfermidade.

O uso de tocas em locais altos é muito indicado. Assim, quando a bagunça na casa estiver num nível drástico para o animal, basta ele sair de cena e ir para um lugar mais tranquilo.

Colocar elementos naturais, como troncos e pedras, ou artificiais como cordas, prateleiras altas e brinquedos com petiscos dentro é indicado. Estimular o hábito de caça escondendo a comida em locais diferentes também distrai o animal.

Aumentar a interação com o gato por meio de escovações diárias e brincadeiras é bastante efetivo. Usar feromônios sintéticos que acalmam o animal diminui sua ansiedade.

Usando todos esses artifícios, a infecção urinária em gatos de origem psicogênica poderá ser tratada com sucesso. Mas lembre-se, ela pode voltar caso o estresse do felino aumente.

Cálculos urinários

São pequenas pedrinhas, inicialmente, que se formam comumente na bexiga ou rim do gato e podem ser a causa da obstrução da uretra, impedindo a micção espontânea (ato de urinar), sendo, portanto, um caso de emergência médica.

Os sinais da obstrução uretral por cálculos são os mesmos da obstrução por tampão visto na cistite idiopática. Sendo que o tratamento também consiste na desobstrução, podendo inclusive evoluir para cirurgia, dependendo do tamanho do cálculo, local que está alojado e recidivas do quadro.

Infecção bacteriana do trato urinário

Considerada frequente na rotina clínica veterinária, essa infecção é mais comum em cães. Além disso, a urina é naturalmente mais ácida nos felinos, o que reduz a chance de crescimento bacteriano.

Geralmente causada por bactérias da porção terminal da uretra. Os sintomas são os mesmos da cistite intersticial, porém terá bactéria, então não será chamada de “intersticial”, mas sim cistite bacteriana.

Nesse caso é usado antibiótico como base do tratamento (recomenda-se cultura e antibiograma para saber se realmente é causa infecciosa e qual o melhor antibiótico para o agente causal), além de analgésicos e anti-inflamatórios (dependendo do caso, nem sempre prescrito). 

gato miando

Com todas essas informações, não deixe a doença se agravar. Ao menor sinal de infecção urinária em gatos, leve seu bichano ao médico-veterinário e cuide dele com muito carinho!